Loading...

De uma vez por todas: vamos falar sobre “Coaching”?

Em linhas gerais, é o processo que tem como finalidade o desenvolvimento de habilidades...

Primeiramente, vale esclarecer que este não é um artigo técnico sobre o processo de “Coaching”. O objetivo aqui é trazer esclarecimentos a respeito de algo que vem sido massivamente divulgado, e que recentemente ganhou até inserção publicitária em uma famosa telenovela.

O que é “Coaching”? 

Em linhas gerais, é o processo que tem como finalidade o desenvolvimento de habilidades e competências necessárias para o atingimento de objetivos claros e pré-definidos pelo Coachee (quem passa pelo processo de Coaching). Este processo tem tempo determinado, objetivo definido e plano de ação bem desenhado.

Quem pode aplicar o “Coaching”, ou seja, quem pode ser um “Coach”?

O “Coach” é um profissional que passa por uma certificação séria em primeiro lugar, em instituições sólidas e qualificadas no mercado. Ele é o “facilitador” do processo de coaching, utilizando-se de técnicas, metodologias e exercícios específicos, com o objetivo de fazer com que o Coachee encontre suas próprias respostas e recursos para o atingimento de determinada meta, de acordo com o seu repertório de vida.

Mas qual a diferença entre Coaching e Psicoterapia?

O programa de Coaching vai trabalhar uma meta específica, seja ela de ordem pessoal (emagrecimento, matrimônio, relacionamento social etc), ou ainda, profissional (promoção, liderança, movimentações etc.), e o cenário a ser trabalhado será o momento presente para atingimento de metas futuras. Até pode-se falar de passado em Coaching, mas não com o objetivo de tratar traumas ou questões emocionais, e sim acessar o repertório do Coachee considerando sempre a relevância daquilo para a competência ou habilidade que ele quer desenvolver. Por isso que o processo tem tempo determinado, pois uma vez atingida a meta, o processo de Coaching se conclui com sucesso.

Já a psicoterapia trabalha justamente aquelas questões que o Coaching não entra: traumas passados, questões emocionais mais profundas, fobias etc. Ou seja, questões gerais emocionais que requerem uma imersão no passado da pessoa para que ela possa superá-las e ter uma melhor qualidade de vida.

Desta forma, um Coach sabe quando é necessário combinar o seu trabalho com o trabalho de uma psicoterapeuta, e vice-versa! É dizer, os processos podem coexistir e os resultados podem ser realmente muito bons, pois são processos que trabalham questões completamente diferentes, e se utilizam também de ferramentas e recursos completamente diferentes.

Espero ter ajudado neste esclarecimento! 

Boa sorte!

Juliana Ventura