Alerta: pessoas fofoqueiras fazem mal à saúde!

Fofoqueiros de plantão existem e cabe a cada um não se deixar contaminar por essas pessoas mal intencionadas

A pessoa fofoqueira é aquela que se aproxima dos outros tentando agradar para obter aliados e poder falar, ora de um ora de outro. Procura envolver quem está ao seu alcance sem expor a sua própria vida, mas com intuito de criar intimidade, conseguir informações alheias para poder espalhá-las. E assim segue colocando sempre alguém na berlinda.

Os motivos que levam a envenenar a vida do próximo podem ser vários, desde o de querer garantir uma posição para qual são inaptos até o de sentir prazer com o sofrimento do próximo. De qualquer forma, quanto a levar adiante o que se ouve sem filtrar ou validar a informação recebida é, no mínimo, assumir coautoria. Logo, quem compra uma fofoca é tão fofoqueiro quanto aquele que a vende.

Segundo o dramaturgo, romancista, contista, ensaísta e jornalista irlandês George Bernard Shaw (1856-1950) “Uma fofoca é como uma vespa; se não puder matá-la no primeiro golpe, é melhor não mexer com ela”. Embora, o fofoqueiro (homem ou mulher) seja um tipo ardiloso, na maioria das vezes ele (ou ela) apresenta um aspecto de amabilidade. E não tem nada de ingênuo em seu comportamento. 

Então, se as pessoas fofoqueiras e seus interlocutores ativos causam indignação por utilizarem o seu tempo e imaginação embalando e prejudicando a vida alheia ao bel prazer, as que não compactuam com essa prática podem ficar indiferentes aos movimentos de intrigas e bloquear a continuidade dos rumores. Quanto àquelas que são alvo de boatos nada melhor que manter o foco em seus propósitos de vida. 

Afinal, como bem dito pelo historiador brasileiro Leandro Karnal “Pessoas elevadas falam de ideias; pessoas medianas falam de fatos; pessoas vulgares falam de pessoas”.

 

Margareth dos Reis