Pulos em excesso

Seu cão não para de pular em você toda vez que o encontra?

Quando chegam as visitas você precisa prendê-lo para que não pule nas pessoas? Sua bronca não adianta nestes momentos e seu cão continua errando? Não se desespere, este é um caso simples de solucionar.

 

Por incrível que pareça, quem ensina o cão a pular desta forma são os próprios proprietários. Assim que o filhote chega em casa, a família acha graça quando aquela coisinha pequena e peluda dá aqueles pulinhos para cumprimentá-los, e bastam poucas repetições para que o cão aprenda que pular é algo que agrada. Alguns meses depois o filhote se torna grande e aí aqueles pulos que pareciam fofos agora começam a ser um problema.

 

A boa noticia é que nunca é tarde para treinar boas maneiras. A partir de agora você pode deixar claro para seu cão que seus pulos não estão agradando. Mas como?

 

Toda vez que se encontrarem, procure deixar suas mãos baixas, na altura do peito de seu cão. Um dos motivos pelo qual o cão pula é porque quer alcançar nossas mãos, uma vez que é delas que vêm todo carinho e comida além de serem macias e possuírem o nosso cheirinho. Quanto mais você levantar as mãos, maior será a probabilidade dele querer pular. Além disso, é importante deixar claro que estar no chão é algo que te agrada, por isso dê a ele bastante carinho enquanto estiver com as quatro patas no chão e assim que levantar as patas dianteiras, levante seu tronco e dê-lhe as costas, sem olhar ou dizer uma palavra. Assim que ele baixar novamente, reinicie a interação e assim por diante.

 

Outro exercício legal a se fazer é pegar uma das refeições do dia e utiliza-la como treino. Coloque-a em uma bolsinha pequena e assim que encontrar com o cão jogue um punhado no chão (evitando assim que ele já chegue pulando em você). Depois que ele comer o que esta no chão, corra um pouco e jogue mais um punhado no chão, sempre antes dele pular. Logo ele entenderá a dinâmica do exercício, que basta ele te acompanhar sem pular que receberá sua recompensa. Sempre lembrando que se ele pular você deverá dar-lhe as costas e evitar recompensa-lo de qualquer maneira.

Empurrar e gritar, mesmo que não pareça, age como reforçador, e o cão pode pular ainda mais, portanto evite essas atitudes.

 

Passeios diários abaixam a ansiedade e ajudam em qualquer treino. Não adianta exigirmos bons comportamentos de nossos cães se não lhe garantimos outras formas de extravasar.


Se mesmo assim você encontrar dificuldade em ensinar boas maneiras ao seu “melhor amigo”, procure ajuda de um profissional da área. Ele saberá dizer o que está faltando em seu treino e ajudará para que vocês tenham uma convivência cada dia melhor.

 

Marília Vargas Madureira é especialista em comportamento canino, adestradora e Consultora Comportamental. E-mail: mar_madu@yahoo.com.br